quarta-feira, 28 de junho de 2017

-----





Tenho metros
 Encobertos dentro mim
 E então, que faço?
 Tudo é um embaraço
 E só me resta cavar 
 E bem fundo, para achar
 Um pouco de mim.” 

O Menestrel

Cometa





"Nada de imitar seja lá quem for.

Temos de ser nós mesmos.

Ser núcleo de cometa, não cauda.

 Puxar fila, não seguir."

Monteiro Lobato.   

Há quem diga


 
Há quem diga que todas as noites são de sonhos. Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão. No fundo, isto não tem muita importância. O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, em todas as épocas do ano, estando a dormir ou acordado.
  Shakespeare.  

Queda

A menina queria voar
Ela caiu
No caos, da cama, na mesmice.
Caiu da nuvem, direto pro chão.
Caiu no poço
Caiu na real
Caiu do império de seus maiores sonhos.
Ela caiu
Da escada, da sacada.
Pensou que era passarinho, queria voar.
Ela caiu no abismo que achava que olhava só
O abismo que também a olhava sem ela se tocar.
Ela caiu
Na ilusão, da ilusão.
Caiu em luto, em greve, em sina.
Sempre caindo, essa menina.
Dá um salto no ar
Caiu do palco, no meio do espetáculo
Ninguém a viu no chão chegar.
Dizem que saiu voando, que de tanto querer ser passarinho
Criou asas e se tornou um.


Lorem Krsna

Vasculhe

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...