terça-feira, 30 de abril de 2013

Portões



"Ainda que eu não possa esquecer
E Deus sabe os motivos...
Hei de guardar cada lembrança como tesouro
Originado de cada mínimo pensamento.
O desespero e angústia não me derrubarão,
Apesar da nostalgia desses velhos novos dias.
Pois a cada momento o passado me fará enxergar
O que no presente posso ter.
Cada lembrança me fará me reconstruir dos velhos pedaços...
Hei de fazer do passado não minhas correntes, mas meus balões...
Não meus muros, mas minhas portas...
Não o abismo das impossibilidades, mas meu grito de liberdade.
Para a partir de quem fui, do que tive, do que perdi...
Ser quem sou."
 
Lorem Krsna e Natã Cavalcante
 
Ao som de City And Colour.



segunda-feira, 29 de abril de 2013

Rumo ao desconhecido



" Eu aprendi que todo ser humano teme um pouco a mudança, tanto quanto a deseja. Ele não quer ficar no mesmo, ao mesmo tempo, treme diante da fuga da zona de conforto, do comum, do que é no momento presente... Mas estes saltos da zona são necessários. Mudar é como respirar, você precisa para viver. Mudar de ares, de pensamentos, de visão... Mudar o que você é não é trair nem um princípio. É principiar. 
E eu, prestes a um grande salto, já aprendi a fugir de justificativas e abraçar tudo isso, crendo o quanto será belo, mas também difícil, e por isso, concreto. O quanto será grande a mudança, como vem sendo desde o dia que cada um de nós nasceu e berrou para este mundo estranho, com medo da mudança brusca daquilo que nos era comum. Talvez seja isso, cada mudança é um nascimento... E nascer, embora difícil, é delicioso." 
Lorem Krsna 

terça-feira, 23 de abril de 2013

Medos




"No fim mesmo é tudo uma questão de crença: eu creio muito menos no medo do que na necessidade de se fazer as coisas. Eu entendo bem a profundidade  da estocada, mas sei que a dor, por mais ameaçadora, será aguda se eu quiser que seja. Eu tenho medos sim, todos no plural, todos. Mas acredito muito mais na necessidade de se fazer o que tem que se feito. E crença, meu amigo, é forte o bastante para curvar o que quer que seja..."

Lorem Krsna



 

segunda-feira, 22 de abril de 2013

"Viver é estar perdido na cidade."



Já pensei na vida de várias formas: como uma trama, como uma teia, como um jogo, como um teatro da existência. As vezes penso mesmo como se fosse uma estrada sabe, uma estrada no meio de uma cidade gigante. Cheia de bifurcações, esquinas, escadarias que surgem, trânsito onde menos se espera, becos sem saída, muros que você precisa pular. Isso. viver é andar em uma cidade gigante e desconhecida, sem mapas ou GPS. Somos jogados na cidade, e logo nos perguntam para onde queremos ir, nos dão o nome de um monte de ruas, cafés e programas, e ficamos meio perdidos, de vez em quando quase engolidos por tudo, querendo ir para todos os lugares... E antes eu pensava mesmo, que se eu escolhesse uma rua, não podia ir a outra. Essas escolhas acabavam comigo, porque eu sempre fui do tipo que gostava de mais de uma rua. E ainda sou. Mas hoje vou aprendendo que embora você não posso ir para todos os lugares que quer, você pode ir para o máximo que puder. Nada me impede de conhecer várias ruas, ver as sujas e escuras para gostar mais das claras. Posso experimentar vários cafés, para saber quais mais aprecio. Provar uma porção de sabores de sorvetes, ver os que mais me enjoam. Eu estou nessa cidade, por que perder meu tempo pesando o que seria apropriado em cada esquina, e acabar sentada na travessia, procurando mapas que não existem, perguntando para pessoas que por acharem que conhecem cada rua, estão mesmo mais perdidas do que eu?
Eu venho aprendendo que ter dúvidas entre os caminhos que bifurcam é comum. Mas passar a vida toda fugindo das bifurcações, das ruas de várias vias, seguindo apenas os caminhos mais retos sem olhar para o lado não é uma definição boa para viver. como se apenas pretendêssemos passar pela vida reto... Isso não me atrai. Em nada.

Lorem Krsna (Anjo sonhador)

sábado, 20 de abril de 2013

Não me define


"Não estou a fim de ser só uma coisa
Pensar só uma coisa
Mostrar só uma coisa.
Uma coisa só não me cabe, não me satisfaz, não me esclarece.
Uma coisa só não é o suficiente.
Uma coisa só não me define."

Lorem Krsna

segunda-feira, 15 de abril de 2013

"Normais"



Eu nunca tive inclinação para pensamentos coerentes ou organização. O caos sempre me fez trabalhar, o medo sempre me fez ter mais atitude. eu trabalho melhor sobre pressão : fato. Tão pouco fui atraída para a órbita das pessoas mais "comuns". As pessoas com que simpatizo, com o perdão da palavra, são os que mais são chamados de loucos e estranhos. O "normal" sempre me deixou entediada. não aguento dois minutos de uma conversa repleta de "normalidade", apego a convenções, não sei nem onde pisar. Pessoas que não entendem sarcasmo são bem pouco divertidas, e olha que posso ser um poço fundo de metáforas e ironias, mas detesto usar poder das palavras para machucar as pessoas, por mais que eu morra de vontade as vezes (a tal serenidade que venho tentando trabalhar). Mas as vezes eu saio do sério. As pessoas "fora do normal" que conheço, quando falam coisas desagradáveis, são sempre no calor do momento. Mas tem gente que simplesmente planeja a estocada. E meu anjinho fica só me lembrando que falar a verdade, as vezes, é maldade por vingancinha.

Quem diria. A vida me ensinando a ser hipócrita ¬¬ 
Lorem Krsna

sábado, 13 de abril de 2013

Leveza



13 de Abril de 2013
Juazeiro do Norte, Ceará
Cara Amiga
Precisava lhe contar algumas coisas, certos assunto que me vieram a mente a ideia de que apenas você entenderia. Você sempre foi mais sábia do que eu, mais humilde em suas ideias, e percebeu desde cedo como o ser humano tem tão pouco domínio de tudo que está planejado. Coisas que só venho percebendo há tão pouco tempo, você sabia desde criança. Então talvez você entenda todas as mudanças, e o quanto elas me transformaram em um ser humano diferente, nem melhor, nem pior, mas diferente. A verdade é que ando bem mais serena, bem mais ciente das coisas as quais devo realmente me importar, e isso é libertador. Lembra-se de meu pavio curto? Do quanto as decepções verdadeiramente acabavam comigo? Sempre me exigindo demais, e acabava colocando muito peso em cima das pessoas que gostava, colocando expectativas demais. Quando me apaixonava, o sentimento me espinhava por muito tempo, mas nunca ao ponto de eu me obrigar a abrir mão do que eu pensava. Eu nunca soube me doar, relevar certas coisas, nunca entendi a troca dentro de um relacionamento sem a ideia que pareceria fraca e dependente. Eu nunca quis ser fraca, e mesmo nas piores situações, tentei manter o controle enquanto me quebrava por dentro. Minhas trincas sempre foram internas, mas isso nunca me fez mais forte.
Talvez tudo isso tenha mudado. Hoje entendo mais coisas sobre amizade e amor, sobre saber relevar as coisas, e os males da admiração sem medidas. Eu não quero um ídolo. Quero alguém que eu possa amar, e me ame de volta, mesmo na forma mais singela. Não quero tempestades, quero brisa e garoa, que molha muito mais sem causar tantos danos. Você, no entanto, sempre soube disso. Sempre soube que se se entra no mar bravo, vem a emoção mas também o pânico, e nada é aproveitado quando se sai machucada demais.
Acho que vai entender isso, e muito mais. Talvez ainda me reconheça mesmo depois de quem me tornei, pois há coisas que nunca irão mudar de fato. Só ando mais leve mesmo, quase como se pudesse voar. E é bom sentir isso.

Aguardo notícias. Será que aquela grande amiga que já viu o melhor e o pior de mim existe ainda em alguma parte aí dentro?

Com carinho
Da sua amiga
Lorem Krsna

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Pensamento amplo


“É espetacular o desenvolvimento crítico do ato de pensar de um modo quase holístico, não totalmente racional, mas totalmente interligado com os conhecimentos adquiridos ao longo do aprendizado. A capacidade de ver, compreender, analisar e criar uma opinião parece simples, mas é algo maravilhoso. É algo maravilhoso ser capaz de ligar diversos pensamentos, ideias, conhecimentos para construir algo firme, bem embasado. É como construir uma casa, organizando o material, criando os alicerces, seguindo um plano prévio, redesenhando segundo modificações. Ou melhor, é como a construção de uma canção, onde são necessários arranjos, acordes, mas também a sensibilidade para se criar uma letra que seja capaz de passar o que você quer dizer, e assim, acabar se tornando o que outros querem dizer também. Construir uma opinião embasada segue etapas dentro de um pensamento crítico. E desde o momento que você começa a pensar na busca de compreender, você se torna incapaz de parar. “Lorem Krsna

terça-feira, 9 de abril de 2013

Gole de tequila e cobertor



"Talvez eu ande mesmo pensando em muitas coisas que não posso compreender nunca... Ou simplesmente ande nadando contra a maré de todas as coisas. Dizer que é difícil seria amenizar a situação, mas embora seja ruim pra caramba escalar por cima de todas as coisas que encontro pelo caminho, não posso dizer que a vista aqui de cima é ruim. Na verdade é tudo claro, claro que chega a cegar as vezes, depois de tanto tempo no escuro poder ver o sol de cima dessa pilha que as vezes só aumenta.
Talvez eu ande mesmo escolhendo o caminho mais complicado para as coisas, mesmo quando acabo deixando tudo pra lá. Estudar quando os outros descansam, descansar quando ou outros estudam. Escolhendo as lutas tolinhas, gostando dos improváveis, apostando nos "perdedores", procurando borboletas onde veem flores, ou rindo das piadas mais sem graça, mesmo quando a vida parece não querer fazer questão que eu veja graça nenhuma nas coisas.
E no entanto, não posso dizer que não sou feliz, e tão pouco que não ando triste. Tudo é tão efêmero, como a quentura de gole quente de tequila na noite fria. Esquenta, mas precisa mesmo é de um cobertor, de um abraço, ou ir para outro lugar. Essas coisas loucas são divertidas, mas passam... Eu quero hoje algo mais duradouro, algo que possa crer. Que possa deixar uma marca, não uma cicatriz."

Lorem Krsna

sábado, 6 de abril de 2013

Carta ao Eu que fui


Querida Eu de antes.
Nos últimos dias não venho me reconhecendo no espelho, e muito menos nas fotos antigas. Não que eu não lembre de como era, ou que não tenha ainda tantas teimosias e perguntas, mas venho notando o quanto venho deixando os pesos para trás, mesmo nos dias ruins, porque venho aprendendo que nada dura. Queria ter uma maneira de contar isso a você, a Eu de antes. Teria me poupado muita dor de cabeça e noites mal dormidos, e muitas perguntas erradas, ou certezas inexistentes. Você ainda vai ter alguns problemas, mas também algumas recompensas. E acho que isso serve de algo, e que seja o fluxo certo das coisas, como o temporal e o arco-íris depois.
Você terá bons amigos, e outros nem tanto, e nem sempre vai saber em quem confiar. Vai se decepcionar muito, dizer coisas que vai se arrepender, passar por noites ruins, madrugadas terríveis, e medos de perdas que é o tipo de coisa que não vai saber ao certo como lidar, mesmo com sua cara sempre enfiada nos livros. Muito do que você aprenderá na vida, não será em livros. Ainda assim eles serão por vezes as janelas para a fuga, e ótimos aliados e isso não vai mudar. Mas você vai aprender a se virar bem sem eles. A sair dos bastidores e entrar no palco sem medo de julgamentos, mas não da maneira fácil. Nunca será da maneira fácil.
A vida é bem mais complicada do que uma biblioteca minha cara. E tem cores muito mais belas do que representa em seus desenhos.
Sua família ainda será sem porto em todos os momentos de águas fortes, mas terá que saber a diferença entre segurança e aprisionamento. Terá que aprender a voar, mesmo com toda a dificuldade.
Nem sempre a coisa certa estará clara. E quase nunca achará respostas em consolos e abraços, na maioria das vezes, seus maiores críticos acabarão sendo amigos mais úteis do que aqueles que fecham os olhos para seus erros.
Haverá algumas lágrimas. De risos e de angustias. Quando fizer 15, perceberá suas idiotices dos 14, e com 16, o quanto foi tola aos 15. Mas nunca conseguirá ser tão boa quanto quando tinha 6 ou 7. E isso não vai mudar.
Vai se apaixonar. Muito. Nem sempre por pessoas de carne e osso. Mas vai quebrar a cara, e aprender toda vida com os tropeços, que não serão poucos nem fáceis, mas no fim, tudo vai ficando para trás se você quiser.
Nem sempre fará o que quer, o que gosta, mas nem sempre isso será ruim, entretanto. Às vezes é melhor escolher sem ter certeza, do que esperar por tempo indeterminado. A vida não espera por ninguém, e nem as coisas passam de modo fácil. Nós que escolhemos a nossa cura das coisas.
Você encontrará pessoas boas, muito boas, que te farão bem. E pessoas que esperam tua queda. Precisará saber tratar com os dois com elegância. Ficará mais madura, mas nem sempre menos ingênua, ou insolente. Vai machucar quem ama sem querer, e ser também machucada, e saber assim engolir orgulho e pedir perdão e perdoar. Mas nunca vai esquecer.
Há muito o que acontecer ainda. O mundo mal se abre diante de teus olhos, e acredito que também diante dos meus, que mal enxergam a janela que se abre ao mundo. Mas vais aprender a viver. E acredite, tudo melhora, mesmo que tenha ficado ruim antes, e sempre será assim.
Então apenas viva. Corra mais por aí. Arrisque mais. Resolva seus assuntos mal acabados, pois o passado, vai ficar no passado de fato. Enterrado, esquecido, e a vida nunca será a mesma de um dia para outro...
Alguns de seus ideais vão vir por terra. Suas certezas não passaram de escrituras na areia. Mas seu caráter será o único imutável. Confie mais. Entre mais no palco e fique menos na plateia. Aplauda menos os sucessos dos outros e tente criar os seus.
É o que recomendo para você, Eu de antes. Mas talvez você tenha que passar por tudo para ter a clareza. E eu ainda tenha que passar por muito mais, para ver a luz.

Com carinho
A Eu de hoje.
Lorem Krsna   


sexta-feira, 5 de abril de 2013

Golpe e esquiva

"Você escolhe o que faz da vida, mesmo escolhendo não fazer nada. É sempre assim, sob os golpes, você ou se esquiva, ou enfrenta. Sob as mudanças, ou você assimila, ou dissimula... e você sempre tem a opção entre chorar pelo o que foi, ou abraçar o que vem. Mudanças podem ser grades ou podem ser janelas, buracos ou saidas, golpes ou oportunidades... Você escolhe, ou é escolhido."  Lorem Krsna

terça-feira, 2 de abril de 2013

Lúcidos?

Fonte

" As vezes eu penso se eu já aprendi de fato algo sobre o mundo e sobre como as pessoas funcionam. De vez em quando eu me pego achando que sim, e então surge algo que derruba por terra qualquer possibilidade de certeza. As pessoas surpreendem. Elas oscilam, e nem mesmo elas mesmas sabem a real extensão do que são capazes, de qual o pico que os separa do o que jugam certo ou errado, do "lúcido" ao "animalesco"... "
Lorem Krsna

Vasculhe

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...