sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Se o vento tivesse uma cara (Pés descalços)



Imagem: Se o vento tivesse uma cara by Lorem Krsna
Se o vento tivesse uma cara (Pés descalços)

“Ei moça
Que tem asas nos pés descalços
Voando livre para onde der vontade
Esse teu cabelo que não assusta ao vento
Teus cachos falam tanto de ti quanto teu horror por sapatos
Ei moça, se o vento tivesse rosto teria a tua cara sabia?
Tu é brisa moça. 
Também tufão.
Livre de tudo moça. 
Sem fronteira, sem agarro. 
Sem medo e sem sapatos.
Essa cara de sono, sorriso de preguiça difícil de ver.
Cara de vento.
Sorria moça
Deixe a tristeza de lado
Do jeito que sempre deixa teus sapatos”

R.M.S


Ganhei esse poema hoje de uma grande pessoa. Feito em especial por meu hábito de sempre andar descalça, minha cabeça na lua e aparentemente o meu “sorriso de preguiça” de quem anda dormindo pouco. J
P.S: fiz a imagem :D

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Sobre apreciar as pessoas



Desperdiçar o tempo, algo que não tem volta, que quando passa, não tem remédio para trazer de volta. 
Quando eu tinha meus 14, 15 anos, não entendia bem esse conceito. 
Está certo. 
Tem aqueles pequenos momentos que você acha que vai viver para sempre, ou ainda, que as pessoas que você se importa vão sempre estar por perto. 
Depois que você entende que não é assim que a "banda toca"- é obrigado a entender a finitude - você entende a importância de apreciar as pessoas. Apreciar de verdade. 
Em cada pequena coisa.
Se você tiver sorte - muita sorte - você aprende isso antes que elas sumam - sejam tiradas - de perto de você. 
Aquele abraço de boa noite, aquelas conversas ao redor da mesa. Aquelas cobranças "chatas", de voltar para casa bem. Aquelas intimações de avisar se chegou vivo em casa. Aquelas pequenas coisas que você por vezes nem nota - mas que vai sentir falta quando elas sumirem de repente.
Passar a vida toda não apreciando isso, achando que você terá tempo. 
Quando tudo se acalmar.
Quando as provas acabarem.
Quando chegarem aquelas férias.
Quando tiver tempo. Tempo e tempo. 
Uma verdade: Você tem tempo agora. Até que de repente você não tem mais.
Outra verdade: Eu queria ainda ter tempo com minha mãe. E com alguns bons amigos. As vezes você perde as pessoas para a morte. As vezes você perde elas ainda mesmo pela vida. 
Nos últimos 2 anos e meio, eu venho perdendo para os dois. 
Eu venho observando finalmente aquele relógio em cima da cabeça das pessoas. Entender que as pessoas que você se importa são mortais. Ou que se cansam. 
Entender sobre o peso das coisas que você não fala, ou o tempo que você perde não apreciando nada. só aguardando. 
Perder tempo é um crime. Um desperdício de algo que muitos dariam tudo para ter de volta.
Lorem Krsna (‪#‎AnjoSonhador‬)

Vasculhe

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...