sexta-feira, 31 de maio de 2013

Luvas de algodão


" Eu penso e penso, mas ainda assim ainda falo coisas que não queria falar.
E meu humor, muda quanto mais eu penso. E nesses tempos, só faço mesmo pensar.
Sei que sou rude, irônica, sem luvas de algodão. E nem tudo que falo rindo é brincadeira. Eu falo por que vou aprendendo que engolir verdade dá indigestão. Deixar pra depois, dá arrependimento. Ser boazinha demais, dá náuseas...
Se não quer algo, se não gostou, corte se puder, fale, jogue para a claridade.
Se gosta de alguém, e tem que falar, não deixe para próximos domingos. Ninguém estará disponível por tanto tempo. Não faça coisas que não quer, se pode evitar.
Se gosta mesmo de alguém, e a quer de verdade, seja menos amiga, ou só terá um amigo.
Não seja outra pessoa para impressionar, mas não haja da mesma forma com todas as pessoas. Reservamos coisas especiais para pessoas especiais, e por mais que falemos o contrário, gostamos de cada pessoa de uma forma diferente. 
Eu não quero me arrepender por não ter dito algo importante na hora certa. Prefiro, hoje, falar aos meus o que eu sinto, o quanto os admiro e o quanto me são preciosos, e não esperar oportunidades que podem nunca vir. Ninguém sabe o dia de amanhã, até que ele vem, e pode ser uma carícia ou um tapa. A vida é inesperada, então, jamais, JAMAIS espere.

Eu penso em tudo isso, e penso que talvez, embora tudo isso borbulhe e tenha que sair, eu deva editar minhas falas, ser mais sútil. Mas é duro escavar solo árido a procura de flores, embora elas possam existir.
Nem todo mundo consegue ver além de pedras.
De qualquer forma, seja pra falar, enxergar, dizer o que você deseja e não apenas esperar que alguém adivinhe e pegue em sua mão para lhe guiar.Mudar é complicado, de uma forma ou de outra.
É preciso errar muito, se arrepender e cair em armadilhas. É preciso calejar. Pés limpos e suaves sangram muito, embora belos. Mas os calejados, suportam pesos maiores." 


__Lorem Krsna



quarta-feira, 29 de maio de 2013

N.M

"E eu me desligo do mundo até ninguém conseguir me alcançar."
___Lorem Krsna

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Simples assim



Nunca gostei de "mas" ou "porém". Gosto de uma sentença só, direta, sem rodeios, sem curvas nem contradições. Gosto de pessoas que dizem o que querem, o que sentem, que facilitam... Gosto de saber onde piso, de ter as placas de aviso, para que decida se vou segui-las ou não. Detesto passos no escuro...
Gosto de mão que se encaixa, de palavras que esclarecem, ou de gestos que nem precisam de nenhuma palavra...
Se eu pudesse escolher, seria tudo descomplicado, dia de acordar cedo nunca teria chuva nem seria nublado, comida sempre seria a da minha mãe, e a gente só gostava de quem gostava mesmo da gente.
Se eu pudesse escolher, andaria mais leve, sem tanto peso de tentar entender, decifrar o que me dizem, tentar ler nas entrelinhas, quando poderia ser tudo mais simples. Eu gosto da clareza das coisas, de poder ler as pessoas, sem precisar de dicionários e rodapés. Não quero ter que recorrer aos externos, quando tudo tinha que ser de dentro pra fora, no ato, na hora que acontece. De você puxar o ar e falar tudo o que te vem no impulso e que te sufoca, e depois, nem que depois aguente as consequências, mas você fez algo. Você deu a cara pra bater,  e não se escondeu no escuro e nas desculpas. Você disse não ou sim, largou o talvez, foi pro agora. Beijou quem tinha que beijar, sofreu o que tinha que sofrer, por algo que fez, e não pelo que não fez, pelo o que não disse, pelo o que pensou e o que faria "se".
Não me venha com "mas". "Não" ou "sim". Simples assim.
Lorem krsna

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Rebentação


"Onda que arrebenta na praia, é suicida indo contra a pedra.
Vem trazendo tudo que o oceano esconde,
Vai arrastando o que tem na terra.
Onda que bate na rebentação, é como gente, tomada por sentimento.
Que explode sem controle na superfície, se destrói, e leva tudo..." Lorem Krsna

domingo, 19 de maio de 2013

Declive



O ser humano tem mania de se preocupar com coisas pequenas, por mais que queira ser achar gigante, maior que todos. Ele fica preso nas ervas rasteiras, e diz a todos que bateu de frente no grande carvalho. A vida não se resume em aparências, em coisas gloriosas porém vazias. Nem em pequenas depressões ao longo do dia mascaradas com rostos superficiais, tão parecidos, como se todo ser humano hoje em dia insistisse em bancar número de série. Não quero ser assim. 
Coisas tristes e felizes acontecem, e a vida não marca hora. Viagens inesperadas, oportunidades imperdíveis, novos amigos, novos romances e então perdas, dias nublados demais... Você pula as ervas, e não nota os declives. Normal. Muito mais fácil desviar do carvalho. Ele não esconde quem ele é.

__Lorem Krsna
Ao som de He used to be a lovely boy - Keane


sexta-feira, 17 de maio de 2013

Lost



"As vezes eu só penso se é o tempo mesmo que cura as coisas... Ficar parado esperando o tempo passar parece descuido quando existe tanto a ser feito..."

___ Lorem Krsna

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Suavemente



Ultimamente quero ser mais brisa, menos tempestade. Quero passar suave, na calmaria. Fluir tranquila nas mesmas coisas, sabendo que elas vão mudar rápido demais e nada se pode fazer em relação a isso...
Talvez, daqui há poucos anos, poucos meses, poucas semanas, eu não veja as pessoas com os mesmos olhos, nem queira lhes falar o que hoje desejo. Talvez não estejamos aqui para isso, de qualquer forma...
Talvez, daqui há um tempo, aumente a lista de pessoas que eu machuquei e as que eu ajudei, e minhas perguntas não esclarecidas nem importem mais. E talvez eu ame, e sofra, e mude, deixe cicatrizes e fira e seja ferida. Mas nada disso importa. Aprendi a não sofrer por antecedência, não perder meu sono. Antes eu era muito mais tempestade, querendo deixar minha marca em tudo...
Mas andar suavemente pelo mundo é uma dádiva no fim das contas."

Lorem Krsna


Mania


" As pessoas tem a mania de sentirem falta daquilo que nunca possuíram." Lorem Krsna

domingo, 12 de maio de 2013

"Pelo que falta, só o que resta"



"Sempre falta algo. Algum pedaço, alguma coisa, alguma linha que não se pode passar, por mais que queira...
E sempre falta uma pessoa, uma ultima palavra ou uma primeira...
Sempre falta o entendimento, o que deve se dizer e o que foi dito. Sempre falta o ponto final, e o novo parágrafo, a nova folha, a nova chance... E sempre e sempre falta algo que se perdeu, e a gente nem sabe que foi perdido. Mas resta, resta sempre e sempre a procura sem sentido.
E aquele vazio, que por mais que a gente preencha de coisas, nunca é preenchido.
E só resta também tentar ser feliz pela metade das coisas, e pelo que falta, resta também a tristeza, por que no fim, é o que resta."
Lorem Krsna

domingo, 5 de maio de 2013

Leite quente



"As pessoas esquecem o que é ter sete.
Vou dizer, minha infância foi boa demais: tomar banho de chuva, mergulho no mar, jogo de futebol no gramado e queimado na pracinha com amigos e rivais do bairro.
Acordar sete da matina para tomar nescau e assistir ursinhos carinhosos. 
Aguardar disney cruj, e as festas juninas no mês das quadrilhas, buscando seu par. 
Quando ficava doente, lá vinha a famosa canja, cafuné, e o famoso kit adoentado: cream craker com guaraná. Se for muito amado, rolava um passatempo, para ciúmes dos irmãos.
Eu vivi tudo isso. Eu vi muita chuva caindo com a boca para o céu, e assisti o pôr-do-sol tocando violão na praia. Eu já voltei pra casa da escola conversando com o menininho que eu gostava, e fingi que estava irritada quando ele disse que gostava de mim.
Eu briguei e brinquei com meus irmãos, e foi quando estava com eles que senti que estava mais feliz e completa. Já ouvi que era amada, e disse também, e isso é único quando real. Meus pais já disseram que se orgulhavam de mim, e isso vale cada noite mal-dormida.
E eu lembro bem o que foi ter sete, oito, dez, treze anos. Lembro bem de como é ter quinze anos e sentir que o mundo está contra você, e ter dezenove e sentir que é hora de conhecer o mundo, e apanhar bastante. E sei o que é ter vinte e perceber que você não sabe de nada, mas tem tudo para descobrir, basta abrir os olhos, correr atrás, buscar lugares, pessoas e a si.
Eu posso ter pulado etapas. Mas não fui privada de nada."

Lorem Krsna

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Seriedade




"Ãham, eu sou muito chata mesmo as vezes. Mas até os chatos podem ser gente boa de vez em quando. E eu digo tanta coisa séria rindo para pensarem que é brincadeira...
E quando finjo que não ligo, é por que me importo e me apavoro com as coisas. Com dependência, com falta de opção, ou pior, com opções demais... 
Uso de ironia, de humor auto-depreciativo, mas no fim sou meio assim, sempre tenho algo insatisfeito comigo, alguma coisa que devia ter feito melhor e deixei passar, por alguém ou por mim. Por que eu sempre penso demais, observo demais, e a vida não espera. A vida é muito mais dos loucos do que dos estrategistas, muito mais de quem está no palco do que os da platéia. E as vezes é bom sempre sorrir, e ainda assim ser levada a sério. Sorrir mesmo quando esta nos dias que tem a sensação que era melhor nem colocar os pés fora da cama, quando mais de casa. Sorrir cura tudo. E não importa de você for uma chata, rabugenta, uma jovem mulher velha que se alterna com uma pentelha sem noção das coisas. Não importa se você tem 12 ou 60, de corpo ou de mente, se você entender que a vida é séria, mas também uma piada, por que você nunca vai sair dela vivo, e o melhor a se fazer é rir mesmo de tudo isso, fazer o seu melhor, conseguir bons reais amigos e construir tudo o que desejar..."
Lorem Krsna (Anjo Sonhador)


Vasculhe

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...