quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Como passarinho



"Se vais, deixa ao menos te ver na rua, roubar um sorriso.
Fruto proibido de minha obsessão.
Deixe que me coração como passarinho,
Desgarrado, voe de volta ao ninho,
Dentro do teu coração."

Lorem Krsna

Não me Deixes

Perto e distante



" Se for para falar de sentir falta, o que me incomoda mesmo é sentir tua presença, mas estar tão longe que não posso o alcançar...'


Lorem Krsna

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Sentir só



" (..) E nesses encontros e desencontros, você percebe que mesmo rodeado de pessoas você se sente só, pois nenhuma delas te faz feliz." Lorem Krsna
Encontros e Desencontros

Sonhadora



"Quantas vezes sonhei acordada, e dormindo não pude sonhar? " Lorem Krsna

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Onde nos encaixamos?


" Somos postos em lugares em que não nos encaixamos, mais ainda assim lá permanecemos, atritando nas beiradas de um quebra-cabeça errado, por temer não encontrar o certo... por temer achar o certo." Lorem Krsna

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Contraditória



Talvez eu tenha falado muito pouco... Ou demais.
E de tanto reter tantos prantos, do ultimo tenha sofrido mais.
As vezes, ando no gelo trincado sem medo...
Mas tremo diante de meus mais frágeis segredos.
Tenho coragem para enfrentar o mundo.
Mas sou derrubada pelo menor de meus medos.

Lorem Krsna
 

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A criança que fui


Tenho lembranças bacanas da minha infância. Do barulho da chuva no telhado, o cheiro do café saindo da cozinha, os mergulhos no mar esverdeado da minha cidade. Lembro também dos jogos de futebol no gramado, do pega-pega na pracinha quando faltava energia, ou de ficarmos horas conversando na varanda, vendo o sol sumir e a penumbra cobrir todo mundo, esperando que a luz chegasse, discutindo o final da novela do horário nobre.
Lembro bem dos meus irmãos, de meus pais, do nosso cachorro...
Da primeira mudança, para a casa de terra batida, e dos jogos de dama que sempre acabavam em confusão, por que nenhum de nós queria perder. E lembro dos banhos de chuva na grama, da gente se lambuzar de lama na praia imitando indio, e acender fogueira, ao som dos violões e de uma cigarra aquí e acolá, e até do tempo em que o terreno se enchia do brilho esverdeado dos vaga-lumes quando desligávamos a luz só para brincar de se esconder.
Minha infância foi boa. Aproveitei cada instante, e quando olho para trás, percebo que perdi muito tempo não enxergando isso. Não enxergando o quanto eu tive sorte de ter vivido tudo isso, cada banho de açude e de mar, hoje penso que me limpariam toda a fumaça em que as vezes me escondo. 
Não voltaria no tempo: o que passou passou, e foi bom enquanto durou. 
Mas hoje consigo ver bem, que a felicidade estava nas coisas menos complicadas. E sinto falta dessa minha velha sabedoria, pois quanto mais aprendo e cresço, mas vejo o quanto sou tola, o quanto eu era mais sábia, desprendida, mais atirada para vida. Eu perdi essa sabedoria simples, e vivo esbarrando na vida, cega diante do que fazia bem, sem poder encontrar mais a criança inteligente que eu era. E eu sei, que se esta que fui hoje me visse, me jogaria uma bela de uma bola de lama na cara para que eu acordasse para a vida, e o que ela tem de mais belo ao meu redor, e que eu teimo em ignorar.

  Lorem Krsna de Morais














segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O tempo passa

" (...) Mas é sempre assim na vida. O tempo não perdoa e passa. E você cai e se levanta. E tenta, e procura o máximo ser feliz com as armas que a vida te da, e mais as que você luta para conseguir. Você chora, ri, blasfema e aprende a pedir perdão e perdoar.
É o que as pessoas definem como experiência, os seus próprios erros. Isto torna a vida mais interessante, saber que você joga a sorte na roleta e não sabe o que vai dar, mas tenta fazer o seu melhor com o que der." 
Lorem Krsna


Estouro de pipoca



Minha felicidade é simples: como estouro de pipoca assistindo reprise na tv no fim de tarde, ou quando está passando na rua a sua música favorita, e você não se controla em cantar. 
São destes sentimentos que a vida é feita, genuínos. 
E você precisa sentir para viver, chorar, sorrir, ao menos uma vez se apaixonar, quebrar a cara, se enrolar em uma mentira e mergulhar no mar, seja o azul ou das oportunidades. Uma vida sem sentir, quer seja o lapso frágil de uma felicidade efêmera, ou uma dor que parece não ter fim, mas que passa, não é se viver, é algo que não tem nome, e assim, é como se nem ao menos existisse.

Lorem Krsna


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Lembrando de mim

Faz-me a canção que não para de lembrar,
ou o filme que quer sempre assistir.
Para que mesmo sem querer, de tanto cantar,
vai ficar assim, lembrando de mim.
Lorem Krsna

Pensando

"Há um lugar na minha mente onde as vezes vou. É distante, tranquilo e nada me atinge. Um lugar onde as coisas que não tem sentido, também não tem importância e não podem me ferir. Lá eu posso ser qualquer uma, estar em todo lugar e ainda assim ser quem sou, sem explicações de confrontos ou não - confrontos. Sem medo. Até que a realidade atinja minha cabeça como um dardo localizado, e eu despenque para a terra... Por mais que seja bom, é certo acordar. E fazer o certo é difícil. " 
Lorem Krsna


As portas, as chaves.



Dizem que a chave que abre a porta pode ser a última do molho, mas as vezes temos que ter a força necessária para arrombar portas que nos cobram a passagem, ou pular janelas quando a vida sela nossas saidas ao invês de ficar a chorar inultimente no alpendre.
Lorem Krsna



terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Fim de festa



A paixão não é como o amor. A paixão cega, emudece e ensurdece. E quando finda, é como o final de uma festa, onde só resta para trás a terrível bagunça, e não se encontra ninguém para ajudar a arrumá-la.

Lorem Krsna 


Vasculhe

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...