quinta-feira, 23 de junho de 2011

O desejo de fugir

Além de mim mesma encontro esta ausência que sempre senti, sem saber o porquê. Encontro um rosto que sempre busquei e que há tanto perdi...
E tanto perdi!
Perdi quem me amou, e quem achou que gostava de mim. Perdi aquilo que fui, e o que guardava dentro de mim. Me parti tantas vezes, que nem sei se ainda resta algo intacto aquí.
E hoje em dia, me tornei tão covarde, que só sei mesmo fugir, e fugir.
Me tornei mestre mesmo em partir para longe do risco da mágoa. E nem sei se isso no fim das contas me faz feliz!
Ás vezes, e tantas vezes, imagino que alguém me espera quando chegar em casa. Que alguém vai ligar para dar um "boa-noite" e um "vejo você amanhã". E penso se trocaria este prazer por todos os riscos, e a resposta não vem...
Qual o problema de ser amada? Qual o risco afinal?
Eu acho que não sei mais o que pensar. Eu só sei mesmo fugir, enquanto tudo vai perdendo a graça de ser e só resta o vazio indomável. Não fica nenhum sorriso mais caloroso, só fica a vontade de ficar sozinha cobrindo tudo, esta vontade dolorosa e esperada, sem qualquer explicação.

Lorem Krsna

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dúvidas? Indagações? Palpites? Ideias? Epifanias?
Só para comentar mesmo?
Tudo bem!
A vontade!
Aberta a opiniões.
A agradeço a sua visita ao anjo sonhador.
Espero que volte sempre que quiser, serás bem-vindo.

Vasculhe

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...